Muitas pessoas ficam constrangidas, afinal o mau cheiro nas axilas é uma situação desagradável que pode até mesmo atrapalhar a vida social de uma pessoa. A boa notícia é que a doença chamada bromidrose tem tratamento. Você tem ou conhece alguém que tenha essa condição¿

Primeiramente, é importante ressaltar que a bromidrose pode ocorrer não só nas axilas, mas também no pé e virilha e está associada diretamente a hiperidrose (suor excessivo). “A bromidrose e a hiperidrose são condições diferentes: enquanto a hiperidrose é apenas o suor excessivo que pode não apresentar cheiro algum, na bromidrose há a proliferação de bactérias que habitam essas regiões úmidas do corpo causando o mau cheiro”, explica a dermatologista Dra. Maria Virginia Guedes.

Por isso, além de tratar a bactéria com medicamentos e cremes à base de antibióticos, interromper o suor excessivo é fundamental para o controle da doença. “Esse controle pode ser feito por meio de desodorantes dermatológicos, uso de toxina botulínica (nas axilas) ou até mesmo cirurgia”, diz a Dra. Maria Virginia.

Com a doença controlada, outras medidas precisam ser feitas, como por exemplo, o descarte de roupas e palmilhas, que mesmo após lavadas continuam com mau cheiro, para evitar a recontaminação da bactéria.

É importante ressaltar que o problema pode ser prevenido: quem sua muito nas axilas, pé e virilha precisa usar sabonete antibacteriano e deixar a região sempre seca. Mas claro, consultar um profissional é fundamental para a análise do problema e tratamento adequado.

O tema foi assunto do podcast Viva Saúde da Unimed Tubarão. Se você quiser saber mais sobre o tema assista ao episódio completo.

Link: www.youtube.com/watch?v=PB4upSBBCAw

Compartilhe

Voltar ao blog